INFORMAÇÃO SUMÁRIA

Padroeira:  Santa Maria.
Habitantes: 531 habitantes (I.N.E.2011) e cerca de 530 eleitores em 05-06-2011.
Sectores laborais:  Agricultura, Pecuária, Pequeno Comércio.
Tradições festivas  Senhora das Neves (5 de Agosto) e S. Lourenço (10 de Agosto).
Valores Patrimoniais e aspectos turísticos:   Igreja Paroquial, Capelas de Senhora das Neves, Santo Estêvão e S. Lourenço, monte do Carvalhal, lugar do Outeiro e Casa do Paço.
Gastronomia: Papas de Coura (com milho miúdo) e cozido à portuguesa.
Colectividades: Associação Cultural Recreativa e Desportiva de Cunha.

 

ASPECTOS GEOGRÁFICOS

 

Cunha é uma freguesia  do concelho de Paredes de Coura, com 11,75 km² de área e 540 habitantes (2003).
Seus lugares são: Boa Vista, Calçada, Carreiro, Casa Nova, Caselhos, Cerdeira, Costa, Igreja, Lajedo, Lizouros, Malho, Outeiro, Paço, Penim, Tozende e  Tumio.

 

RESENHA HISTÓRICA 

 

No ano de 560, Teodomiro, rei dos suevos, doou metade das rendas da igreja de Cunha, então denominada “Collina”, a Sé de Tui. Esta doação veio a ser confirmada a 3 de Setembro de 1125 pela rainha D. Teresa e seu filho D. Afonso Henriques.
Em 1258, é citada na lista das igrejas situadas no território de Entre Lima e Minho, que pertenciam ao bispado de Tui. No aludido original, existente na Torre do Tombo, (gaveta 19, maço 14, com o número 7), chama-se “Ecclesia de Coine”.
Em 1320, aparece enquadrada no arcediagado de Cerveira, sendo uma das igrejas do bispado de Tui no território de Entre Lima e Minho. Nesse ano, foi-lhe aplicada uma taxa, a pagar ao rei D. Dinis, de 40 libras.
Em 1444, por bula do papa Eugénio IV, as terras de Coura passaram para o bispado de Ceuta. Quando, em princípios do século XVI, as freguesias de Entre Lima e Minho foram incorporadas na diocese de Braga, D. Diogo de Sousa mandou avaliar estes benefícios. A igreja de Cunha rendia então 672 réis. Situava-se no julgado de Coira e Fraião. Em 1546, Santa Maria da Cunha estava integrada na terra de Coura e comarca eclesiástica de Valença, rendendo 26 mil réis.
O Censual de D. Frei Baltasar Limpo, na cópia de 1580 consultada pelo P. Avelino Jesus da Costa no seu trabalho “A Comarca Eclesiástica de Valença do Minho”, refere que a metade, com cura, de Santa Maria da Cunha era da apresentação do prelado, competindo este direito quanto à outra metade, sem cura, a padroeiros. A metade com cura tinha anexas São Salvador de Resende e Santa Cristina de Mentrestido da Terra de Vila Nova de Cerveira.
Segundo p P. Cardoso, a igreja de Santa Maria da Cunha foi abadia da apresentação da Miltra, tendo anexas Resende e Mentrestido, de Vila Nova de Cerveira. Resende era-lhe anexa “in solidum”, enquanto que de Mentrestido apenas possuía uma metade, porque a outra era benefício simples da Casa de Bertiandos.
Em termos administrativos, esta freguesia pertencia, em 1839, à comarca de Monção.
Em 1852, fazia parte da de Valença e, em 1878, da de Paredes de Coura e julgado de Rubiães.

 

Fonte consultada:  Inventário Colectivo dos registros Paroquiais Vol. 2 Norte Arquivos Nacionais /Torre do Tombo.
251 781 635
juntacunha@hotmail.com
 
Calendário
Jan0 Posts
Mar0 Posts
Abr0 Posts
Mai0 Posts
Jun0 Posts
Jul0 Posts
Ago0 Posts
Set0 Posts
Out0 Posts
Nov0 Posts
Dez0 Posts
TAGS POPULARES
Ultimas Notícias

facebook